Guiado por ultrassom, a “core biópsia”, que também pode ser chamada “biópsia percutânea da mama”, é um procedimento realizado com uma agulha especial, por meio da pistola automática, em que são retirados fragmentos da lesão, permitindo assim a análise histológica e o diagnóstico do material.

COMO É FEITO:

A Core biopsy é feita por meio do ultrassom, em que o médico aproxima o transdutor de ultrassom e insona o parênquima mamário em busca do nódulo suspeito. Depois de ser localizado o nódulo, o médico anestesia a região da punção e introduz a agulha, que está acoplada a pistola de punção, por meio da pele e parênquima mamário e direciona para o nódulo. Todo o processo do exame recebe o devido acompanhamento pelo médico na tela do equipamento de ultrassonografia, tornando o procedimento seguro.

É um exame de imagem que serve para medir a densidade dos ossos através da dupla emissão de raios X.

Para que serve?

A densitometria óssea ajuda no diagnóstico da osteoporose e avalia o risco de fraturas dos ossos. Assim, o exame busca indicar a curva de perda óssea ocorrida, além disso, auxilia no tratamento de doenças relacionadas. 

O que é osteoporose?

A osteoporose é uma doença em que ocorre uma diminuição da massa óssea, deixando os ossos mais frágeis, possibilitando maior risco de fratura. Algumas regiões do corpo podem sofrer os traumas, como: coluna vertebral, colo do fêmur, tornozelo ou punho.

A maior ocorrência da doença acontece ao sexo feminino, principalmente após a menopausa, mas os homens podem ter a doença que acontece com mais frequência no período de envelhecimento. Isso se deve pois, com o aumento da densidade (que ocorre até os 35 anos), os ossos começam a perder massa progressivamente. 

Os ossos crescem até os 20 anos. A partir daí, a densidade aumenta até os 35 anos e começa a perda de massa progressivamente. O processo é mais rápido nas mulheres, principalmente após a menopausa.

Para quem é indicado o exame?

- Mulheres acima de 65 anos ou que se encontram na pré-menopausa, menopausa, pós-menopausa, em tratamento hormonal de estrógenos ou tireoidianos.

- Crianças que necessitam de acompanhamento do desenvolvimento ósseo, que apresentam desequilíbrio do metabolismo do tecido ósseo e que estão em regime dietético para perda de peso.

- Homens acima de 70 anos.

Atenção: mulheres grávidas não podem realizar o exame.

 

Ecocardiografia ou ecocardiograma bidimensional com doppler é um exame de ultrassom, que faz imagens do coração, captadas por um transdutor colocado sobre o tórax do paciente, que são transmitidas para um monitor. É um método diagnóstico muito utilizado em cardiologia que serve para observar a estrutura anatômica e o funcionamento do coração e para pesquisar doenças congênitas ou adquiridas ao longo da vida.

Ecocardiograma Infantil

É o mesmo exame do adulto, continua sendo indolor e totalmente seguro. A maioria das crianças não precisa de nenhum preparo especial para fazer um ecocardiograma. Todavia, se a criança tiver menos de três anos de idade, poderá ser necessário administrar um sedativo, um tipo de medicamento que permite que a criança durma durante o exame. O ecocardiograma é mais eficaz se a criança não se mexer.

Através da compressão com o transdutor sobre a pele avalia-se, através de uma escala de cores, a rigidez de estruturas superficiais. Lesões benignas costumam ser mais amolecidas e elásticas, enquanto que lesões malignas são mais rígidas. Esse exame é rápido, não causa dor e não precisa de agulhas ou cortes, podendo também ser usado para diagnosticar doenças, substituindo a biópsia em muitos casos.

Eletrocardiograma é parte importante da avaliação inicial do paciente de que se tenha suspeita de um problema cardíaco. O exame é realizado com pequenas peças de metal (eletrodos) são coladas no tórax, braços e pernas do paciente. Em alguns sistemas os eletrodos são colocados no tórax, ombros, porções laterais do tórax e porções inferiores do abdomen.

Estes eletrodos são ligados ao equipamento de ECG através de fios. O paciente deve ficar imóvel durante o exame, enquanto a técnica ou enfermeira faz o registro de ECG. A atividade elétrica, que existe naturalmente no coração, é processada pelo equipamento e impressa em um papel gráfico especial e o médico cardiologista interpreta o traçado impresso. O tempo decorrido entre a aplicação dos eletrodos e o registro do gráfico é apenas de alguns minutos.

O ECG é extremamente seguro e indolor, e de suma importância por fornecer informações importantes sobre o ritmo do coração do paciente, um infarto do miocárdio prévio, aumento da espessura do músculo cardíaco, sinais de diminuição da oxigenação do coração, problemas de condução da corrente elétrica, entre outras alterações. 

Ecocardiografia fetal é um exame que permite avaliar o desenvolvimento, a função e a anatomia do coração do feto ainda durante a gravidez. O exame não oferece risco para a gestante ou para a criança, trazendo os benefícios de um diagnóstico precoce e de um tratamento eficaz das cardiopatias fetais. Dessa forma, certas doenças – como determinadas formas de arritmia – já podem ser tratadas dentro do útero da mãe.

O diagnóstico complementa a avaliação do ultrassom morfológico, uma vez que é realizado por um cardiologista pediátrico e fetal especializado. 

Oferecemos aos nossos clientes precisão e segurança na realização dos seus exames de endoscopia e colonoscopia, colocando à sua disposição uma equipe médica altamente qualificada e completa estrutura tecnológica, com aparelhos de alta definição que permitem ampliar a imagem em até 200 vezes, o que aumenta as possibilidades de diagnosticar pequenas lesões.

Nosso ambiente segue os padrões da Vigilância Sanitária, com salas próprias de lavagem e desinfecção dos aparelhos, o que oferece melhores condições de segurança para nossos pacientes. Além disso, nosso atendimento é personalizado, possui uma recepção exclusiva para realização desses exames, com salas específicas para preparo e recuperação.

Durante a realização dos exames, quando necessário, os pacientes são acompanhados pelo médico anestesiologista, garantindo uma sedação com maior segurança para o paciente e para o ato médico.

A entrega imediata do laudo com a documentação fotográfica após a realização do exame é outro diferencial do serviço.

Endoscopia

Endoscopia Digestiva Alta, frequentemente chamada apenas de Endoscopia, é um exame cujo objetivo é visualizar diretamente a parte superior do trato gastrointestinal, composta pelo esôfago, estômago e o duodeno. Através desse exame é possível diagnosticar e tratar algumas das doenças mais comuns do sistema digestivo superior, como gastrite, úlceras, hemorragias, tumores, doença do refluxo, pólipos, inflamações e varizes esofagogástricas. Ela é feita com um aparelho chamado de endoscópio, um longo e fino tubo flexível, que possui uma câmera na sua extremidade, permitindo que o interior dos órgãos digestivos (esôfago, estômago e duodeno) sejam visualizados, fotografados ou mesmo filmados.

O moderno serviço da Diagnose utiliza sistemas Pentax de alta definição de imagens, aumentando em até cerca de 200 vezes o tamanho normal. É, portanto, um exame eficiente e que permite a visualização em detalhes do interior do organismo.

Esse exame é indicado habitualmente nas seguintes situações:

•Quadros de dor ou desconforto no abdômen superior;

•Azia, regurgitação, pigarro, rouquidão;

•Investigação de náuseas e vômitos persistentes;

•Avaliação e acompanhamento de lesões no esôfago, estômago e duodeno;

•Investigação de anemia, perda de peso não intencional;

•Pré e pós-operatório de cirurgia bariátrica.

Colonoscopia

Colonoscopia é um exame que permite a visualização direta do interior do reto, intestino grosso e parte final do intestino delgado, através de um tubo flexível introduzido pelo ânus, contendo em sua extremidade uma mini câmera que transmite para o monitor imagens coloridas, podendo ser fotografadas ou gravadas em vídeo. 

O serviço da Diagnose conta com o mais moderno sistema Pentax de alta definição em imagens, detectando pólipos ou câncer nos seus estágios iniciais, que são passíveis de tratamento endoscópico.  Além disto, podem ser visualizadas inflamações, úlceras e outras alterações. A colonoscopia, atualmente, é o principal método de rastreamento do câncer de cólon e reto.

Nosso ambiente segue os padrões da Vigilância Sanitária, com salas próprias de lavagem e desinfecção dos aparelhos, o que oferece melhores condições de segurança para nossos pacientes. Além disso, nosso atendimento é personalizado, possui uma recepção exclusiva para realização desses exames, com salas específicas para preparo e recuperação.

Durante a realização dos exames, quando necessário, os pacientes são acompanhados pelo médico anestesiologista, garantindo uma sedação com maior segurança para o paciente e para o ato médico.

O exame pode ser realizado em qualquer idade, porém é indicado em casos de:

•Dor abdominal de origem desconhecida;

•Sangramentos retais;

•Alterações do hábito intestinal, como diarreia ou constipação crônica; 

•Na prevenção do câncer do cólon ou reto mesmo em pacientes assintomáticos;

•Acompanhamento de pacientes portadores de doenças inflamatórias;

•Anemia de causa indeterminada;

•Seguimento de pólipos colônicos.


A histerossalpingografia é um exame ginecológico de raio-X do útero e das trompas, feito com contraste, muito utilizado para avaliar as causas de infertilidade de um casal, por exemplo.

Além disso, a histerossalpingografia também pode ser usada para avaliar outros problemas ginecológicos, como malformações, miomas ou tubas obstruídas, pois ajuda a visualizar a anatomia do sistema reprodutor feminino desde o útero até os ovários.

O exame não dói, no entanto, durante o exame a mulher pode sentir algum desconforto, sendo que o médico pode receitar algum analgésico ou anti-inflamatório para usar antes e depois da histerossalpingografia.

Exame realizado por meio de um dispositivo portátil, que o paciente fica com ele acoplado na cintura por um período de 24horas, podendo executar todas as suas atividades rotineiras como andar, trabalhar, comer. O holter registra os batimentos cardíacos do indivíduo e detecta se houve alguma alteração durante as 24horas do exame.

O objetivo é avaliar as variações do ritmo e da frequência cardíaca que ocorrem no período. É recomendado quando o paciente se queixa de tontura, palpitação e falta de ar. A partir desse procedimento, é possível identificar a presença de arritmias ou disritmias. Além disso, é extremamente útil para identificar isquemias silenciosas, que ocorrem com maior frequência em diabéticos.

 

A mamografia é um exame de raios-X, realizado através de um aparelho conhecido como mamógrafo, em que se visualiza a região interna das mamas.

Em que idade deve ser realizada a mamografia? 

Ao completar 40 anos de idade, toda mulher deve procurar um médico especializado, no caso o mastologista, para realizar o exame. 

Em pacientes jovens, com menos de 30 anos, a ultrassonografia é o exame mais indicado para a avaliação das mamas. Nas demais pacientes, a ultrassonografia é um complemento da mamografia.

Diagnostica quais doenças?

Por meio da análise do resultado desse exame, o médico poderá detectar lesões benignas e até mesmo identificar precocemente o câncer de mama, a fim de aumentar as chances de cura. Agora, atenção! Mulheres que apresentam histórico de câncer de mama na família (mãe, irmã, avó, tia) devem realizar a mamografia a partir dos 35 anos de idade.


É o exame que verifica a pressão arterial a cada 20 minutos durante 24 horas para a obtenção do registro da pressão arterial durante a vigília e o sono. O objetivo analisar o comportamento da pressão arterial não somente durante a vigília e o sono, como também durante eventuais sintomas como tontura, dor no peito e desmaio. Além disso, possibilita a avaliação da eficácia do tratamento anti-hipertensivo.

 

Cintilografia é o nome genérico dado ao procedimento diagnóstico por imagem na especialidade de medicina nuclear. 

Medicina Nuclear é o método de diagnóstico por imagem que emprega radioatividade para diagnosticar ou tratar certas doenças. Utiliza pequenas porções de substâncias radioativas ("traçadores") que, quando introduzidas no corpo, são atraídas para órgãos específicos e produzem emissões. A localização dessas emissões é detectada por uma câmara especial (câmara de cintilação) que as transforma em imagens e, assim, permite ao médico nuclear identificar alterações e diagnosticar doenças. Esse tipo de exame chama-se cintilografia. Além de ser seguro e indolor, apresenta grande sensibilidade para detectar anormalidades nas funções do órgão examinado.

A medicina nuclear também é utilizada para tratamento de certas doenças, como hipertireoidismo, câncer de tireóide, doença de Plummer e dor óssea.


A tecnologia de raios X utiliza raios de alta energia que podem passar por determinados tecidos do corpo e criar imagens vitais para o diagnóstico e tratamento. Durante o procedimento, um feixe heterogêneo de raios X é produzido por um gerador e projetado sobre a parte do corpo a ser examinada. A densidade e a composição de cada área determinam a quantidade de raios X absorvida. Os raios X que atravessam são capturados atrás do objeto por um detector (seja filme fotográfico ou detector digital). Dessa forma, é produzida uma representação em duas dimensões de todas as estruturas superpostas.

O exame de raios X permite que os médicos vejam através dos tecidos humanos e examinem, com grande facilidade, ossos quebrados, cavidades, além de tornar possível o diagnóstico de várias doenças. Os aparelhos são cada vez mais modernos e, com o desenvolvimento da radiologia digital, o método vem se aperfeiçoando e a dose de radiação recebida pelo paciente é reduzida. Além disso, as imagens são manipuladas em estações de trabalho computadorizadas, o que lhes garante uma melhor qualidade.

É um exame preciso que não usa radiação (como nos exames de Raio X e Tomografia). Através de um campo magnético gera imagens de alta definição, em duas ou três dimensões, de qualquer parte do corpo humano.

Para que serve?

Esse exame tem como objetivo analisar com detalhes a anatomia e, alguns casos, a função do corpo humano. Nele é apontada com precisão a presença de tumores, coágulos, doenças degenerativas e traumas. A ressonância magnética auxilia os médicos no diagnóstico e no tratamento de doenças, além disso, é um suporte durante cirurgias e procedimentos invasivos.

Quais doenças diagnosticam?

A ressonância magnética tem múltiplas aplicações na saúde, sendo útil para a maioria das especialidades médicas, incluindo as que se ocupam do sistema nervoso central, do sistema musculoesquelético, do coração, das regiões pélvica e abdominal e do sistema vascular.

Pacientes com oclusão das artérias coronárias podem apresentar pouco ou nenhum sintoma e um eletrocardiograma de repouso completamente normal. Entretanto, os sinais e sintomas de doença cardíaca nestes pacientes podem ser colocados em evidência se o coração for submetido a um estresse físico. Com esse objetivo é realizado o Teste Ergométrico, um exame complementar de diagnóstico cardiológico feito com o paciente em uma esteira ou bicicleta ergométrica, para que sejam observados os comportamentos da frequência cardíaca e da pressão arterial durante os estados de repouso e esforço. 

Esse tipo de exame oferece dados sobre o funcionamento cardiovascular quando o coração é submetido a esforço físico de forma gradual e crescente e avalia o desempenho da capacidade de os vasos do coração aumentarem o fluxo sanguíneo conforme a intensidade do esforço.

Por que fazer o exame?

Por meio dele é possível diagnosticar avaliar a capacidade cardiorrespiratória e verificar a existência de enfermidades como arritmias, isquemia miocárdica e doença arterial coronariana.

Quando é necessário fazer um teste de esforço?

- Pacientes com sinais ou sintomas de coronariopatia

- Pacientes que apresentem fatores de risco significativo para doença coronaria

- Na avaliação de tolerância ao exercício em pacientes com cansaço e dispnéia inexplicados.

- Para avaliar a resposta da pressão arterial em pacientes com pressão nos limites superiores da normalidade

- Na investigação de batimentos cardíacos irregulares causados pelo esforço físico

- Avaliação de risco em cirurgias não cardiacas

- Avaliação do tratamento cirúrgico ou angioplastia coronariana

- Avaliação do tratamento clínico das coronariopatias

A tomografia computadorizada (TC) é um exame complementar de diagnóstico por imagem, sendo um dos métodos de examemais confiáveis e seguros disponíveis atualmente. É rápida, simples e totalmente indolor. A TC utiliza um aparelho de raios Xque gira a sua volta, fazendo radiografias transversais (fatias) de seu corpo. Seu método principal é estudar a atenuação de um feixe de raios X durante seu trajeto através de um segmento do corpo.

Para que serve?

Esse exame é utilizado para propedêutica diagnóstica e acompanhamento de patologias do crânio, tórax, abdômen, coluna vertebral e as articulações. Ela também serve para guiar o cirurgião durante uma biópsia, identificar massas e tumores e estudar estruturas vasculares.

Como é feito?

O paciente deita em uma confortável mesa de exame que, muito lenta e suavemente, vai passando através de uma abertura na unidade de TC para realização da aquisição das imagens. Algumas vezes o paciente é instruído a deitar de lado ou de barriga para baixo. Durante o exame, você é atendido por uma equipe especializada em TC, com a qual permanecerá em contato visual e vocal constante. Apenas relaxe, ficando imóvel na mesa de exame, e siga as instruções da equipe de TC.

Duração do exame

Os novos equipamentos de tomografia computadorizada Multislice levam apenas 30 segundos para examinar um paciente da cabeça aos pés. Um exame completo com a utilização do meio de contraste intravenoso demora apenas alguns minutos para ser concluído (em média 5 minutos).

Ultrassonografia (ou ecografia) é um método diagnóstico – não invasivo – em que permite a reprodução de imagens dinâmicas em tempo real das estruturas, dos órgãos do interior do corpo, dos tecidos, da rede vascular e do fluxo sanguíneo.

Para que serve?

Esse exame, que costuma ser usado para fins preventivos, auxilia outras especialidades médicas: Cardiologia, Gastroenterologia, Ginecologia, Obstetrícia, Urologia, Fisiatria, Angiologia (vascular), dentre outras especialidades. 

Tipos de ultrassom nas diversas especialidades médicas: 

Abdome Superior;

•Abdome Total;

•Articulações (ombro, cotovelo, punho, joelho, quadril etc.);

•Cervical anterior e tireoide;

•Mamas;

•Obstétrico;

•Morfológico;

•Perfil;

•Parede Abdominal;

•Pélvico Via Abdominal e Endovaginal (transvaginal);

•Peniano e bolsa escrotal (testículos);

•Perfil Biofísico Fetal;

•Próstata Via Abdominal e transretal;

•Transfontanela;

•Vascular (doppler venoso / arterial);

•Vias Urinárias.

Dá o diagnóstico de quais patologias?

É usada para diagnosticar várias patologias (doenças) em diferentes partes do corpo humano. É um método preciso, seguro e rápido no resultado dos diagnósticos que serve para orientar o médico assistente e acompanhar a evolução e tratamento de algumas doenças.


 

O exame para mapeamento ou pesquisa para endometriose é uma ultrassom endovaginal, realizada pelo médico especialista nessa patologia.

Para que serve?

Esse exame auxilia no diagnóstico de focos de endometriose, principalmente endometriose profunda.

Quando é solicitado?

Normalmente é solicitado quando a paciente tem queixa de cólica menstrual forte, dor durante a relação e infertilidade.