18/07/2013

Determinação do risco cardiovascular global através da cintilografia renal (GFR)

Cintilografia renal e RCV

Determinação do risco cardiovascular global em pacientes hipertensos, através da cintilografia renal (GFR)
- Este estudo transversal investiga o papel da cintilografia renal na estratificação de risco cardiovascular, em indivíduos normoalbuminúricos, hipertensos não diabéticos, sem doença cardiovascular e sem disfunção renal. 
- 200 indivíduos hipertensos (55 - 75 anos) foram submetidos a cintigrafia renal dinâmica com DTPA-Tc 99m, com determinação do GFR através do método de Gates.
- Considerava-se que o paciente era portador de doença renal crônica (DRC) estágio III quando sua filtração glomerular (GFR) era < 60 ml/ min/1.73 m2.
- Para comparar diferentes métodos de avaliação da insuficiência renal através da GFR foram utilizadas a equação MDRD (modificação da dieta na doença renal) e a fórmula de Cockcroft – Gault.
- O dano ao orgão alvo (TOD) foi avaliado através do ecocardiograma e o ultra-som das carótidas.
- A razão de probabilidade em função do gênero para DRC, com um intervalo de confiança de 95%, foi calculada a partir de uma análise de regressão logística gradual múltipla.
- O risco cardiovascular global (CV) foi estratificado com exames de rotina, o dano ao orgão alvo e a avaliação da DRC.
 
Veja o link abaixo para uma apresentação completa:
 
Mais Artigos Médicos