20/09/2017

Ultrassonografia do Sistema Musculoesquelético: utilidade e a ferramenta

Por Dr. Sílvio Rodrigues do Amaral

A Ultrassonografia do Sistema Musculoesquelético, modalidade de Ultrassom que estuda as alterações morfológicas, estruturais de Partes Moles deste referido sistema, pesquisa as Patologias principalmente das articulações e anexos, tais como; espaço articular, tendões, ligamentos, músculos e etc.

Convém salientar que a grande maioria das Doenças Musculoesqueléticas acontecem em Tecidos Moles, isto é, em estruturas adjacentes ao tecido ósseo (osso), não propriamente no osso.

Desta forma a utilização da Ultrassonografia Musculoesquelética tem como finalidade o Diagnóstico da Doença Articular e Periarticular.

As Patologias do Sistema Musculoesquelético podem ser decorrente do Trauma, do Microtrauma (uso diário em excesso), de Doenças Degenerativas, de Patologias Endócrinas e Hormonais, da Senilidade e também de Diversas Doenças Reumáticas.

No Método Ultrassonográfico usa-se a “Escala de Cinza” interface de cores que vai do Preto ao Branco, percorrendo todas as nuances da cor cinza, desta forma tendo-se a capacidade por modificação desta escala, a descoberta de alterações de estruturas tais como: rupturas totais, parciais, modificação de formas, contornos, processos traumáticos e degenerativos.

Atualmente a Ultrassonografia do Sistema Musculoesquelético e um dos Métodos de Imagem impar para o Diagnóstico das Doenças do Sistema Musculoesquelético.

No que tange ao Diagnóstico das Doenças Reumáticas, hoje com sua classificação, permeando um número com mais ou menos duzentas patologias, seu emprego veio a ser de uma utilidade imprescindível. 

Senão vejamos: no diagnóstico das Reumatopatias utiliza-se, a queixa do paciente, a entrevista (anamnese), o exame físico e exames complementares tais como: laboratoriais (bioquímicos. Imunológicos) e exames de imagens.

Todavia o estudo da “Inflamação” intrarticular e Periarticular nas Doenças Reumáticas e outras patologias, observando-se os tecidos que contenham “neovascularização”, só se faz através da “Ferramenta Doppler"

Tal ferramenta estuda as estruturas procurando-se observar se existem formações de novos vasos, traduzindo-se o processo inflamatório.

Com dados do Doppler, vascularização positiva ou negativa e mensurações, traduz-se o diagnóstico correto da doença reumática e outras patologias, sua intensidade e também resposta ao tratamento.

Pode-se afirmar que na atualidade e o único método  efetivo de imagem que se utiliza para a investigação do processo Inflamatório nas Doenças Reumáticas.

Uma das mais importantes doenças reumáticas que é a Artrite Reumatoide, enfermidade que em alguns pacientes pode levar a deformidades de punhos e mãos e outras articulações, é o método que traduz o início da vascularização da sinóvia,  isto é a inflamação ativa, que é visibilizada através da ferramenta Doppler. 

Convém salientar que o diagnóstico precoce e seu tratamento adequado, ira impedir a evolução desta patologia.

Com a evolução dos estudos em curso nos Estados Unidos e na Europa, tem-se utilizado a ferramenta Doppler, além da Artrite Reumatóide em outras Reumatopatias tais como: Artrites, Artrose, Espondiloartropatias, Artrites Microcristalinas, Vasculites e etc.

Método ainda relativamente novo no Brasil a Ultrassonografia do Sistema Musculoesquelética com Doppler, é um exame muito importante no Diagnóstico Diferencial de Enfermidades do Sistema Musculoesquelético.

Sílvio Amaral.

Ultrassonografia Geral e do Sistema Musculoesquelético.

Título de Especialista em Reumatologia, Clínica Médica e Medicina do Trabalho.

Ultrassonografista da Clínica Diagnose: Evolution e Harmony (Maceió/Al).

Mais Artigos Médicos