16/11/2020

PET-CT: preciso e faz a diferença no tratamento contra o câncer

Um dos exames mais modernos indicados para as terapias oncológicas

O PET-CT oncológico é um exame altamente moderno que agrega duas técnicas essenciais na avaliação de pacientes oncológicos, são elas: a Tomografia Computadorizada (CT) e a Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET).

“As células cancerosas apresentam um maior consumo de açúcar (glicose) do que as células normais. O exame detecta o aumento do consumo de glicose podendo mostrar as células cancerosas em atividade. Ou seja, os tumores e suas metástases”, explicou o médico nuclear Luis Roncallo Kelsey.

Com o PET-CT é possível avaliar a evolução durante as terapias oncológicas (quimioterapia, radioterapia etc). Desse modo, o oncologista passou a ganhar tempo na intervenção, já que ele, agora, pode ajustar a conduta conforme a melhor eficácia.

“O PET-CT fornece uma avaliação molecular da extensão da doença e possibilita avaliar o grau de disseminação do câncer para escolha da melhor opção terapêutica, seja esta por cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou pela combinação destas”, reforçou.

A doença


Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células em tecidos e órgãos. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa é de que no Brasil, para cada ano do triênio 2020-2022, ocorram 625 mil casos novos de câncer (450 mil, excluindo os casos de Câncer de Pele Não Melanoma).

O Câncer de Pele Não Melanoma será o mais incidente (177 mil), seguido pelos cânceres de mama e próstata (66 mil cada), cólon e reto (41 mil), pulmão (30 mil) e estômago (21 mil). Um cálculo global feito por estudiosos corrigido para o sub-registro aponta a ocorrência de 685 mil casos novos.

Entre os tipos de câncer mais frequentes em homens, à exceção do câncer de pele não melanoma, estão à próstata (29,2%), o cólon e reto (9,1%), o pulmão (7,9%), o estômago (5,9%) e a cavidade oral (5,0%); e entre as mulheres, os cânceres de mama (29,7%), de cólon e reto (9,2%), do colo do útero (7,4%), de pulmão (5,6%) e de tireoide (5,4%).

A prevenção do câncer engloba ações realizadas que reduzam o risco de desenvolver a doença, como: a eliminação do vício do fumo, a prioridade por alimentos saudáveis, prática de atividades físicas, não expor a pele excessivamente ao sol, evitar o consumo de bebidas alcóolicas, contato com agentes cancerígenos (como substâncias químicas) e vacinação (contra a hepatite e o HPV, por exemplo).

Mais Notícias